terça-feira, 29 de maio de 2012

A SAUDADE DO FUTURO...

Embalada numa noite de insónia
Velo-te no teu sono de mulhuer/menina
Aninhada nos meus braços
Como se criança fosses!
A saudade do próximo futuro
Estala-me no peito
Nenhuma mãe
Se prepara para separações...
 Mas esta dói pela injustiça
De um País sem condições
Que te obriga a partir!
Procuro o alento
Para a força que vou perdendo...
Peço a Deus Luz
para um caminho que vai ser dificil e solitário
Peço a Deus protecção
Para te guiar os passos
Peço... Peço... Peço...
Porque Deus é Pai
E entende as lágrimas que escondo
Das Saudades do Futuro!!


3 comentários:

  1. Força querida amiga.
    Imagino a tristeza que lhe vai na alma com a separação da sua menina.
    Nunca se sabe se é preferível sofrer a privação da sua presença para que alcancem um futuro melhor, se, por outro lado, os sentimos presentes, a estudar e a estudar, cada vez mais cursos, mas sem qualquer recompensa palpável.
    Compreendo a sua angústia, mas pense positivo e que ela vai alcançar um futuro mais descansado e proveitoso.
    E pode já começar a pensar na data em que ela a vem visitar, ou será que vai a minha amiga dar um saltinho para a ver. É na Europa? Mesmo com dificuldade se pode minorar a saudade dando-lhe um abraço apertado.
    Grande beijinho e vá aparecendo para distrair e preencher os momentos mais difíceis.

    ResponderEliminar
  2. Um sótão cheio de lembranças
    Escrevi no pó palavras sem nexo
    Retirei uma cartola de uma caixa de cartão
    E senti ao toque o poder da ilusão

    Ilusões…
    Um cavalo de pau perdido ao carrocel
    Uma estola de um bicho qualquer
    Uma escultura talhada a cisel

    Uma foto a preto e branco
    De uma mulher sem rosto
    Uma janela virada para nenhum lado
    Uma traquitana a imitar o sol-posto

    Bom fim de semana

    Mágico beijo

    ResponderEliminar
  3. Sabes...
    Dizem que partir é morrer um pouco! Se assim for, eu já morri, um pouco, duas vezes... É aquela sensação de "ninho vazio", de angustia permanente, de um frio cortante. De ausência de luz, de sentirmo-nos abandonados, sozinhos em águas desconhecidas. Eu sei o que isso é! Mas o tempo é o grande mestre e cura para todos os males de alma. Também ele fará sentir, em ti, o seu efeito benéfico. Não vais esquecer... mas vai doer menos, eu sei...

    joão

    ResponderEliminar