segunda-feira, 22 de novembro de 2010

LOBA SOLITÁRIA

Sinto-me cada vez mais
Uma Loba solitária
Sem matilha, rumo ou aconchego.
Perdida
Na névoa dos pensamentos
Procuro no Tejo
As recordações…
Os sonhos por viver,
Os dias adiados.
Nada sou… nada sei…
Nada desperto… nada inspiro…
Os círculos fecham-se
Na nostalgia do medo.
Um coração cheio de Amor
Que ninguém quer…
Caminho sozinha
Invisível… transparente…
O meu grito silencioso
Não faz eco…
Porque virei Loba
Deixei de ser Mulher.

1 comentário:

  1. Não... não deixaste de ser Mulher!
    A solidão é como a chuva. Mais dia menos dia nos molhará a todos e nem por isso deixamos de ser quem somos.
    Eu sei que é facil debitar opiniões quando se está do outro lado da barricada, mas... quem sabe...
    ...quem sabe o teu grito silencioso não fará eco algures?

    beijo

    ResponderEliminar