quinta-feira, 21 de junho de 2012

SE EU PUDESSE


Se eu pudesse…
Ia ao encontro do mar
Para as minhas lágrimas
Se misturarem com o sal das ondas
Se eu pudesse…
Colocava-te de novo
Dentro do meu ventre
Para que nada no Mundo
Te pudesse atingir
Se eu pudesse…
Desfazia-me na espuma rendilhada
Que beija a areia
Para não sentir a dor
De te ver partir!

5 comentários:

  1. Lindos versos, Teresa !

    Tu, um dia, também partiste para um novo mundo...

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Se eu pudesse...
    Se eu pudesse dava-te um abraço...
    Um abraço muito forte, que pudesse transmitir um carinho uma solidariedade imensa...
    Partir é morrer um pouco... eu sei!
    É aquela estranha e dolorosa sensação de impotência perante a crueza do momento. É a dor do ninho vazio. É estender o braço e querer tocar... e tocar o vazio.
    E apesar dos bem conhecidos passos deixarem de soar...
    Nem a voz que te chamava da sala ao lado se ouvir...
    A vida continua e Ela vai voltar...

    Um abraço

    joão

    ResponderEliminar
  3. Teresa querida,
    O partir dela é ali logo ao lado.
    Logo logo vais poder voltar a abraçá-la e segurá-la nos teus braços.
    A vida é mesmo assim, infelizmente para uns, porque outros sempre foram facilitados. Mas que fazer? aceitarmos o que o destino nos reservou porque ele lá sabe o que anda a fazer!!! Asssim esperemos não achas? e que tudo seja bom para ela, proque a ti te virá parar também :)


    Beijo muito grande

    ResponderEliminar
  4. Como é difícil ver aqueles que amamos partirem! Os lugares mais tristes para despedidas, tem sido nos aeroportos, despedi-mo-nos até sempre sem certezas.
    Continuo procurando amigos que se despediram a muitos anos.
    Bj

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar